1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 (0 Votos)

FMI admite: O rombo é maior que o fundo

260911_lagardePCO - Chistine Lagarde fez pronunciamento para forçar países a arranjarem dinheiro por contra própria para financiar falências.


A diretora-chefe do FMI (Fundo Monetário Internacional), Christine Lagarde, declarou que não há dinheiro suficiente no fundo para cobrir o rombo generalizado das economias europeias.

Lagarde afirmou que o FMI consegue apenas cumprir as atuais obrigações, mas a situação pode mudar se a crise internacional se agravar. A declaração da diretora-chefe do FMI vai de encontro com a falência iminente da Grécia que está prestes a pedir o calote da dívida do País que é estimada em mais de 300 bilhões de dólares.

A declaração também é uma clara chantagem do FMI para forçar os governos europeus a apertarem ainda mais o cinto contra os trabalhadores, colocando em prática a política do plano de austeridade. O FMI quer nitidamente forçar a Grécia e os demais países endividados a confiscarem ainda mais suas populações.

A proposta do FMI e da Comissão Europeia é continuar recapitalizando os bancos por meio do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF). Para isso querem aumentar a verba do fundo que é atualmente de 440 bilhões de euros para dois trilhões de euros.

Com este dinheiro, o Banco Central Europeu vai comprar mais bônus das dívidas italianas e espanholas para, em tese, evitar que estes países necessitem de um pacote integral de ajuda.

Urubus de olho na carniça

Enquanto a economia grega está sucumbindo em meio a uma econômica e social, o FMI e a Comissão Europeia, representantes diretos dos banqueiros e capitalistas internacionais estão fiscalizando se o País está aplicando corretamente as metas para redução do déficit fiscal e os planos de austeridade.

A Grécia ainda recebe dinheiro de um pacote aprovado em maio do ano passado de 110 bilhões de euros. A última parcela, 8 bilhões de euros, ainda não foi repassada e está condicionada ao "bom comportamento" do governo grego em atender os interesses dos banqueiros.

Sem a parcela deste mês, a Grécia vai deixar de cumprir pagamentos básicos levando a um calote generalizado.

Os trabalhadores gregos e europeus devem continuar se levantando contra a decisão do governo de vender o País a preço de banana entregando toda a riqueza para os banqueiros e especuladores internacionais.


Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Microdoaçom de 3 euro:

Doaçom de valor livre:

Última hora

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Eledian Technology

Aviso

Bem-vind@ ao Diário Liberdade!

Para poder votar os comentários, é necessário ter registro próprio no Diário Liberdade ou logar-se.

Clique em uma das opções abaixo.